PAC vai impulsionar 12 mil obras e gerar 4 milhões de empregos em todo país

No rumo certo: Além da geração de empregos, o Novo PAC reduz as desigualdades e promove crescimento econômico sustentável

Da Redação
28/11/2023 - 15:42
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

PAC vai impulsionar 12 mil obras e gerar 4 milhões de empregos em todo país

No rumo certo: Além da geração de empregos, o Novo PAC reduz as desigualdades e promove crescimento econômico sustentável

Com foco em colocar o Brasil no rumo do desenvolvimento com geração de renda e emprego, o governo Lula vai investir R$ 1,7 trilhão em todo o país pelo Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Os recursos são destinados aos 26 estados e ao Distrito Federal nos próximos quatro anos (clique aqui para saber quanto seu estado vai receber). Desse montante, R$ 371 bilhões são recursos do Orçamento Geral da União; R$ 343 bilhões vêm de empresas estatais, como a Petrobras; e R$ 612 bilhões são provenientes do setor privado.

Com o PAC, serão mais de 12 mil obras em todos e 4 milhões de novos empregos. Além da geração de empregos, o programa reduz as desigualdades e promove crescimento econômico e sustentável.

Os eixos de investimentos envolvem os setores de inclusão digital e conectividade; saúde; educação; infraestrutura social e inclusiva; cidades sustentáveis e resilientes; água para todos; transporte eficiente e sustentável; transição e segurança enérgica; e defesa nacional.

Lançado pelo presidente Lula em 11 de agosto, o Novo PAC é uma parceria entre governo federal,  estados, municípios, setor privado e movimentos sociais. No evento de lançamento do programa, ao lado da ex-presidenta Dilma Rousseff, que coordenou as duas edições anteriores do PAC e que hoje preside o Banco do BRICS, Lula resumiu o espírito distributivo e inclusivo do programa.

“O que der certo nesse país tem que ser dividido com o conjunto da população brasileira”, afirmou Lula, na ocasião. “A gente não pode repetir o milagre brasileiro, em que a economia chegou a crescer 14% ao ano, e o povo continuava pobre e miserável”, enfatizou.

“É importante que os empresários tenham clareza, que os políticos tenham clareza, e que o governo tenha clareza: aquilo que for resultado dos ganhos que nós fizermos acontecer nesse país têm que ser repartidos com a população brasileira para que as pessoas melhorem de vida”, defendeu o presidente.

PAC BENEFICIA APARECIDA DE GOIÂNIA

Seleções para adesão ao PAC

O PAC Seleções do governo Lula teve adesão de 96% dos municípios, com mais de 35 mil propostas recebidas. Com o objetivo no desenvolvimento do município, o presidente Lula ressalta a importância de as contratações para as obras serem realizadas por pessoas da própria cidade, promovendo assim crescimento econômico e geração de emprego e renda para a população.

“De preferência, vamos contratar as pessoas da cidade porque a gente gera emprego na comunidade, a gente gera desenvolvimento na comunidade, a gente gera comércio na comunidade, a gente faz o dinheiro singular na comunidade, a gente gera emprego, gera salário e gerar renda”, reforça.

Confira detalhes dos eixos de investimento

  1. Inclusão digital e conectividade: nesse eixo, o objetivo é levar internet de alta velocidade a todas as escolas públicas e unidades de saúde. Além de expandir o 5G, vai levar rede 4G a rodovias e regiões remotas. Investimento total:R$ 28 bilhões.
  2. Saúde: construção de novas unidades básicas de saúde (UBS), policlínicas e maternidades e compra de mais ambulâncias estão entre as ações deste eixo. O Novo PAC investe também no complexo industrial de saúde, fortalecendo a oferta de vacinas e hemoderivados e também em telessaúde para aumentar a eficiência em todos os níveis de atendimento à população. Investimento total:R$ 31 bilhões.
  3. Educação: construção de creches, escolas de tempo integral e a modernização e expansão de Institutos e Universidades Federais são prioridades. O programa vai impulsionar a permanência dos estudantes nas escolas, a alfabetização na idade certa e a produção científica no Brasil. Investimento total: R$ 45 bilhões.
  4. Infraestrutura social e inclusiva: garantirá o acesso da população a espaços de cultura, esporte e lazer, apostando no convívio social e na redução da violência. Investimento total: R$ 2 bilhões.
  5. Cidades sustentáveis e resilientes: voltado para que as cidades se adaptem às mudanças climáticas e ofereçam melhor qualidade de vida para a população, este eixo vai construir novas moradias do Minha Casa Minha Vidae financiar a aquisição de imóveis. Investirá também na modernização da mobilidade urbana de forma sustentável, em urbanização de favelas, esgotamento sanitário, gestão de resíduos sólidos e contenção de encostas e combate a enchentes. Investimento total: R$ 610 bilhões.
  6. Água Para Todos: garantirá água de qualidade e em quantidade para a população, chegando até as áreas mais remotas do país, fortalecendo as comunidades frente aos desafios hídricos e climáticos. Investe na revitalização das bacias hidrográficas em ações integradas de preservação, conservação e recuperação. Investimento total: R$ 30 bilhões.
  7. Transporte Eficiente e Sustentável: reúne os investimentos em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias em todos os estados do Brasil a fim de reduzir os custos da produção nacional para o mercado interno e elevar a competitividade do Brasil no exterior. Investimento total: R$ 349 bilhões.
  8. Transição e Segurança Energética: este eixo é voltado ao desafio da transição e segurança energética, garantindo a diversidade da matriz energética, a soberania brasileira, a segurança e eficiência energética para o país crescer de forma acelerada, gerando emprego, renda e inclusão social. Prevê que 80% do acréscimo da capacidade de energia elétrica venha de fontes renováveis. Por meio do programa Luz para Todos, vai universalizar o atendimento no Nordeste e antecipar a universalização de comunidades isoladas na Amazônia Legal. E os investimentos no pré-sal vão expandir a capacidade de produção de derivados e de combustíveis de baixo carbono no Brasil. Investimento total: R$ 540 bilhões.
  9. Defesa: os investimentos neste eixo permitirão equipar o país com tecnologias de ponta e aumento da capacidade de defesa nacional. Investimento total: R$ 53 bilhões.