Aparecida chega aos 101 anos como cidade de perfil industrial e de serviços

Cada vez mais indústrias e empresas de prestação de serviços se instalam na cidade

Da Redação
12/05/2023 - 19:21
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Aparecida chega aos 101 anos como cidade de perfil industrial e de serviços

Favorecidas pela desburocratização na Prefeitura de Aparecida, as cerca de 80 mil empresas ativas na cidade ajudam a impulsionar a economia e gerar milhares de empregos

Aparecida de Goiânia completa hoje 101 anos de fundação. Neste 11 de maio, o município relembra sua história e comemora seu progresso. Se antes era considerada cidade dormitório, Aparecida é tida agora como um dos maiores centros urbanos no Brasil, com economia pujante, ampla oferta de empregos e forte ritmo de desenvolvimento econômico.

Na última década, por exemplo, o Produto Interno Bruto (PIB) de Aparecida cresceu 122%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE. Passou de R$ 3,8 bilhões, em 2009, para R$ 12,9 bilhões, em 2018, com elevação de 17,40% ao ano.

Neste mesmo período, o número de empresas ativas na cidade saltou de 6 mil para cerca de 54 mil, entre comércios, indústrias e empreendimentos do ramo de prestação de serviços. Hoje, são aproximadamente 80 mil CNPJ’s ativos em Aparecida, conforme levantamento da Secretaria Municipal de Indústria e Comércio.

O desenvolvimento econômico de Aparecida é confirmado também em estatísticas nacionais. Divulgado em março pela Escola Nacional de Administração Pública, o Índice de Cidades Empreendedoras mostra que, no ranking geral, Aparecida foi o 3º município que mais avançou na passagem de 2022 para 2023. Saiu da 65ª para a 35ª posição.

“Isso é mérito do poder público, dos moradores e dos empresários que apostam em nossa cidade. Sou muito grato a cada empreendedor que confia no desenvolvimento de Aparecida, cria postos de trabalho e gera divisas para o nosso município”, diz o prefeito Vilmar Mariano.

Comitê para desburocratizar os serviços públicos

Em todos os encontros que tem com empresários, Vilmar reafirma a importância que as empresas instaladas em Aparecida têm na geração de emprego e renda no município.

Uma das principais direções dadas pelo gestor à Secretaria de Indústria e Comércio é que a pasta acompanhe de perto as demandas dos empreendedores de Aparecida. Na gestão de Vilmar, os empresários passaram a contar com o trabalho do Comitê Permanente de Desburocratização (CPD). Instituído pelo prefeito em parceria com o setor produtivo, o CPD busca melhorar e agilizar os serviços prestados pela Prefeitura de Aparecida às empresas.

Polo Empresarial Goiás

Secretário de Indústria e Comércio de Aparecida, Felismar Martins avalia que o bom relacionamento entre o poder público e o setor produtivo favorece o empreendedorismo. “Mantemos diálogo permanente justamente para compreendermos melhor as demandas. Com este diagnóstico temos condições de aperfeiçoar as ferramentas de incentivo.”

Vocação para grande centro logístico

Aos 101 anos, Aparecida desponta como cidade de potencial logístico e econômico estratégico para empresas de todos os portes, inclusive, companhias estrangeiras. O município é cortado por duas rodovias federais, por onde a produção pode escoar para todo o Brasil, principalmente para regiões portuárias, favorecendo a logística de exportação.

Nos sete polos industriais de Aparecida trabalham mais de 120 mil pessoas, conforme a Secretaria Municipal do Trabalho. Mas o comércio, o ramo de prestação de serviços, a construção civil e a agropecuária também geram milhares de empregos na cidade. Só em 2022, Aparecida abriu 5.802 novas vagas de carteira assinada, saldo 14,5% maior do que o registrado em 2021, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados.

Inauguração da Empresa Multinacional DHL

Após tratativas feitas com o prefeito Vilmar Mariano, a gigante global de logística DHL, da Alemanha, escolheu Aparecida para sediar sua mais nova planta, inaugurada em março deste ano. A multinacional estruturou espaço de 12 mil metros quadrados no Parque Industrial Vice-Presidente José Alencar para atender fornecedores da indústria farmacêutica.

Atraída pela vocação econômica e localização privilegiada do município, a DHL pretende investir R$ 800 milhões em Aparecida e no Brasil até 2025. A empresa já tem mais de 150 funcionários em Aparecida. Com a participação também da DHL na movimentação da economia local, a expectativa da Prefeitura de Aparecida é que o PIB da cidade se consolide como o segundo maior entre os PIBs dos municípios goianos.

No lugar do Semiaberto, mais um polo empresarial

Após décadas de espera, a população e o setor produtivo agora podem comemorar a transferência do Regime Semiaberto de Aparecida. O processo de mudança da unidade, que dará lugar a um novo polo empresarial de mais de 1 milhão de metros quadrados, finalmente começou, possibilitando a abertura de novas empresas na região leste da cidade.

Após reuniões feitas entre o prefeito Vilmar Mariano, o governador Ronaldo Caiado, o vice-governador Daniel Vilela, membros do Ministério Público e do setor empresarial, Vilmar e Daniel assinaram em abril deste ano um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para desativação da Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto de Aparecida e implantação do novo polo empresarial no local, situado próximo ao Parque Industrial José Alencar.

A assinatura do TAC permitiu ao governo estadual iniciar as obras do novo complexo empresarial e da nova unidade do Semiaberto, que será construída ao lado do Complexo Prisional de Goiás, com previsão de entrega em 24 meses. O novo polo se chamará Distrito Agroindustrial Norberto Teixeira (Dianot), em homenagem ao ex-prefeito de Aparecida.

Esse novo polo pode ser o endereço de parte de 380 indústrias que, segundo a Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag), querem se instalar na cidade. “Duas palavras resumem esse momento: sonho e gratidão. Será mais um grande salto na industrialização de Aparecida”, finaliza o prefeito Vilmar Mariano.

Novo complexo aeronáutico vai gerar 3 mil empregos

Outro empreendimento que deve potencializar a reputação de Aparecida como grande centro logístico é o Polo Aeronáutico Antares. O complexo para decolagens, pousos, hangaragem e manutenção de aeronaves de pequeno e médio porte está sendo construído pela iniciativa privada na região leste de Aparecida, com acesso pela Avenida Santana.

Projeção do Polo Aeronáutico Antares que está sendo construído em Aparecida

Segundo Marcos Alberto Campos, um dos sócios-diretores do Polo Aeronáutico Antares, o complexo deve gerar 3 mil empregos para as famílias aparecidenses. Em reunião com o prefeito Vilmar Mariano, ele explicou que a construção do empreendimento foi dividida em cinco fases, sendo a primeira com previsão de entrega no segundo semestre de 2024.

Principais fatos da história de Aparecida

Praça Matriz e Igreja Nossa Senhora Aparecida, marco zero da cidade.

A história de Aparecida começou em 11 de maio de 1922. Naquela data, famílias de precursores da cidade rezaram uma missa campal onde foi construída, depois, a capela da padroeira do arraial – atualmente Paróquia e Santuário Nossa Senhora Aparecida.

Entre os vários colaboradores neste momento inicial estão Aristide Frutuoso, Antônio Lourenço Ribeiro, Antônio Alves Fortes, Antônio Bertoldo Ribeiro, Elias Gonçalves Primo, Manuel Cabral da Silva, Joaquim Marques da Silva, Benedito Batista de Toledo e outros.

Em 26 de dezembro de 1958, foi criado o Distrito de Goialândia, reconhecendo esta então pequena comunidade através da Lei n° 1.406. E em 14 de novembro de 1963, através do projeto de Lei nº 784/63, a Assembleia Legislativa de Goiás sancionou a Lei nº 4.927, criando, assim, o município de Aparecida de Goiânia.