Aparecida realiza Campanha contra Tuberculose

0
299

A Secretaria Municipal de Saúde realiza na segunda-feira (27) a Campanha contra Tuberculose. O evento será no Cais Nova Era, das 8h30 às 12h. O objetivo da Campanha é orientar a população sobre a importância do diagnóstico precoce, além de identificar casos suspeitos de tuberculose. A Campanha vai disponibilizar ainda para a população exames para diagnóstico da doença.

Em 2016, Aparecida de Goiânia registrou 130 casos de tuberculose e 26 casos em 2017. Por ser uma doença que tem grandes chances de cura, principalmente com o diagnóstico precoce, nos dois anos o município não registrou nenhum óbito por tuberculose.

A Tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível, causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, que afeta os pulmões, embora possa acometer outras partes do organismo. Segundo o último relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS), a tuberculose é a doença infecciosa que mais mata jovens e adultos, ultrapassando o HIV/Aids.

No Brasil são notificados aproximadamente 70 mil novos casos por ano, e ocorrem 4,6 mil mortes em decorrência da doença. Um dado que chama atenção é que, diariamente, morrem 13 brasileiros em média por tuberculose. Com isso, o país ocupa o 17º lugar entre os 22 países responsáveis por 80% do total de casos de tuberculose no mundo.

Tratamento

A Tuberculose tem cura e o tratamento é gratuito e disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), inclusive a vacina BCG administrada logo após o nascimento, previne contra as formas graves da doença na infância, mas não impede o adoecimento em outras fases da vida. Para êxito no tratamento, é importante que o paciente tome os medicamentos de forma regular (todos os dias) e no tempo previsto (mínimo de 06 meses).

O abandono do tratamento é um dos principais desafios para o controle da tuberculose. Trata-se de uma situação grave e pode levar o doente à morte; além de manter a transmissão da doença e ocasionar o aparecimento de bactérias mais resistentes. Por outro lado, a pessoa em uso correto dos medicamentos não transmite a doença após 15 dias de tratamento, aproximadamente.