Aparecida retoma vacinação de crianças nas escolas muncipais

Da Redação
05/04/2022 - 18:31
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Aparecida retoma vacinação de crianças nas escolas muncipais

Após a retomada, na segunda-feira, da vacinação infantil itinerante nos colégios, nesta terça-feira, 5 de abril, esse trabalho da Secretaria de Saúde de Aparecida (SMS) está sendo realizado na Escola Municipal Vilmar Goncalves da Silva, no Setor Garavelo Residencial Park.

No local estão sendo aplicadas a primeira e a segunda dose do imunizante pediátrico contra a covid-19, bem como vacinas para adolescentes e adultos da região. Além das ações nos colégios, os pequeninos de 5 a 11 anos podem receber a vacina em 8 postos fixos.

A coordenadora de Imunização Renata Cordeiro acompanhou a abertura dos trabalhos na Escola e convocou pais e responsáveis: “Se atentem para o cartão de vacinas da sua criança porque é necessário completar o esquema vacinal infantil, composto por duas doses. Infelizmente, muitos de vocês estão precisando de um “puxão de orelha” porque estamos, agora, chegando a 50% apenas da meta de vacinação para o público infantil. É fundamental que vocês se atentem para a proteção dos pequeninos, existem muitas crianças sendo hospitalizadas por covid-19 sendo que a vacina está aí, é segura, eficaz e confere uma alta proteção contra a doença, complicações e hospitalizações. ”

Vovós que cuidam e protegem

Nas primeiras horas da mobilização, Simone Divina de Oliveira, moradora do Setor Garavelo e avó do menino Luiz Miguel, 9 anos, já estava na fila da triagem da Escola para vacinar o netinho e tomar a terceira dose dela. “É muito bom ter essa vacinação aqui, facilita para a gente que mora na região e para as crianças que estudam aqui. É muito importante. O Luiz tomou a primeira dose agora porque estava muito gripado antes e eu aproveitei para tomar a minha terceira. Logo vou trazer ele para tomar a segunda”, contou ela.

Vacinado e bom de prosa, Luiz disse que achou legal tomar a vacina, lembrou que um amiguinho foi vacinado antes dele e mandou um recado para as outras crianças: “Não tem que ter medo da vacina, tem que achar legal, porque com ela você se protege”.

Outra vovó consciente é Maria Helena Dal Rovere, moradora do Jardim Tropical, que levou três netos (5, 10 e 13 anos) para vacinar e também tomou sua terceira dose. “Essa vacinação na escola é maravilhosa, ótima para a comunidade, para os alunos, para todos”, elogiou ela, que acrescentou: “É excelente porque muita gente já deixou de se vacinar por dificuldades de acesso, por não poder ir longe. Aqui está perto. Eu e meu marido tomamos até a segunda dose e infelizmente ele teve covid-19, uma forma agressiva, e ele está até hoje no hospital se recuperando, essa doença não é brincadeira. ”

A vovó Maria Helena ainda conclamou: “Pais e responsáveis, levem seus filhos para vacinar e se vacinem vocês também, mostrem para as crianças que não dói muito, não acontece nada, conversem antes. Eu digo para os meus netos que a picada da agulha dói, sim, mas só um pouquinho e depois não dói mais. ”

Onde vacinar as crianças

A vacinação infantil é feita na Central de Imunização (Rua São Domingos, 100, Centro) e nas UBS´s dos bairros Andrade Reis, Anhambi, Cardoso, Veiga Jardim, Retiro do Bosque Jardim Olímpico e Cândido de Queiroz. Para receber a proteção contra o novo coronavírus, as crianças precisam estar acompanhadas de um responsável legal e apresentar certidão de nascimento ou RG, cartão SUS ou CPF e o cartão de vacinação. Caso o responsável não possa acompanhar, basta assinar um termo de autorização que deve ser apresentado no momento da imunização.

A Central de Imunização funciona de segunda à sexta, das 8 às 18h, e aos sábados das 8 às 12h. Já as salas de vacinação das UBS´s ficam abertas de segunda à sexta das 8 às 16h.

“É importante lembrar que a vacinação pediátrica contra a covid-19 tem uma especificidade: não pode ser administrada junto com as outras vacinas de rotina, já que para crianças de 5 a 11 anos é necessário um intervalo mínimo de 15 dias, antes e depois da aplicação desse imunizante, para recebimento de qualquer outra vacina”, informa Renata Cordeiro.