Caminhoneiros protestam: “Bolsonaro te enganou”

As mensagens eram: Bolsonaro te enganou. R$ 7/litro do diesel de Bolsonaro e Bolsonaro traidor.

Da Redação
24/06/2022 - 15:30
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Caminhoneiros protestam: “Bolsonaro te enganou”

Caminhoneiros protestaram contra o presidente Jair Bolsonaro quinta (23) exibindo faixas em caminhões que circulavam pela rodovia Ayrton Senna, em São Paulo.

As mensagens eram: Bolsonaro te enganou. R$ 7/litro do diesel de Bolsonaro e Bolsonaro traidor.

Os três caminhões também passaram por terminais de carga, paradas de descanso e postos de combustíveis, locais que concentram os motoristas. A manifestação foi articulada entre os caminhoneiros e um grupo de designers e comunicadores, informou o jornal Folha de S.Paulo. Segundo eles, a ideia do protesto conjunto é ajudar caminhoneiros a expressarem sua frustração e sua indignação em relação ao governo atual.

Esse mesmo grupo se diz responsável também pelos lambe-lambes na avenida Faria Lima com a foto de Paulo Guedes e o slogan “Faria Loser”. Também promoveram os cartazes do “Bolsocaro”.

As declarações das lideranças dos caminhoneiros mostram que há uma insatisfação da categoria, parte importante da base eleitoral de Bolsonaro. Nos últimos dias, o preço do diesel ultrapassou o da gasolina e do etanol em diversos postos pelo país, algo inédito segundo o Sincopetro, que representa os postos de combustíveis.

A inversão acontece porque o reajuste foi de 5,2% no preço da gasolina nas refinarias e de 14,2% no valor do diesel. Com o aumento, o preço do litro do diesel bateu a marca dos R$ 7.

Foto: Fernando Cavalcanti/Divulgação

Em maio de 2018, uma greve dos caminhoneiros gerou uma crise de abastecimento no país. Na época, o litro do diesel era vendido nos postos por pouco mais de R$ 4, em valores corrigidos. Jair Bolsonaro (PL), então candidato à Presidência pelo PSL, apoiou o movimento e criticou os reajustes nos preços dos combustíveis, que, segundo ele, serviam para “tapar buraco de corrupção”.

A alta dos combustíveis dificulta ainda mais as pretensões de Bolsonaro de se reeleger para um segundo mandato. Pesquisa divulgada ontem pelo Datafolha mostra que ele está 19 pontos percentuais atrás de Lula na corrida presidencial. Se a eleição fosse hoje, segundo o Datafolha, Lula seria eleito no primeiro turno.

Com informações de agências