Carcereira de origem brasileira posta vídeo fazendo sexo com prisioneiro na Inglaterra

deo mostrando uma guarda do presídio HMP Wandsworth, na Inglaterra, fazendo sexo com um presidiário vazou recentemente na web, levando a Polícia Metropolitana a abrir uma investigação.

Da Redação
29/06/2024 - 21:47
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Carcereira de origem brasileira posta vídeo fazendo sexo com prisioneiro na Inglaterra

Um vídeo mostrando uma guarda do presídio HMP Wandsworth, na Inglaterra, fazendo sexo com um presidiário vazou recentemente na web, levando a Polícia Metropolitana a abrir uma investigação.

Portais britânicos identificaram a mulher como Linda de Sousa Abreu, uma modelo brasileira de 31 anos, conhecida por seu perfil no OnlyFans.

Linda, que é casada, já estrelou um documentário sobre ménage.

Embora as autoridades ainda não tenham confirmado oficialmente sua identidade, jornais como o Daily Mail e o The Sun identificaram Linda como a guarda que aparece nas imagens comprometedoras dentro de uma cela, envolvida em atos íntimos com um detento.

Além de seu papel como agente prisional, Linda mantinha uma atividade paralela como modelo de conteúdo adulto em plataformas como OnlyFans, onde era conhecida como ‘Linda La Madre’.

A revelação de sua identidade resultou na exclusão de todas as suas contas relacionadas às suas atividades online.

Abreu adotava outros nomes nos seus perfis de entretenimento adulto, como “La Madre” e “Linda da sala de jogos”.

Ela e seu marido, o lutador de MMA Nathan Richardson, de 29 anos, cobravam uma assinatura de US$ 10 por mês por vídeos e fotos sensuais do casal.

Eles estão juntos há nove anos, mas há apenas três decidiram abrir o relacionamento. Juntos, os dois estrelaram o programa “Open House: The Great Sex Experiment”, do Channel 4.

O reality show mostrava “casais experimentais” explorando a “não monogamia consensual” com diversos outros participantes. Lá, participaram de uma orgia com 15 pessoas, que fez grande sucesso.

Andreina, irmã de Linda, em entrevista ao Daily Mail, descreveu-a como uma pessoa com um estilo de vida liberal, expressando preocupação com as escolhas que ela vinha fazendo.

Linda começou a trabalhar na prisão apenas em janeiro deste ano, uma entrada recente em um ambiente que agora se vê envolvido em um escândalo internacional.

O vídeo, que veio à tona na sexta-feira (28), mostra um detento filmando enquanto outro está envolvido em um ato sexual com a guarda penitenciária.

A identidade de nenhum dos dois prisioneiros envolvidos foi revelada pela mídia inglesa.

A Scotland Yard está investigando o incidente e, até o momento, se limitou a declarar que uma mulher foi detida sob suspeita de má conduta no cargo público e está sob investigação.

A Polícia Metropolitana segue investigando Linda por má conduta em um cargo público.

A instituição se pronunciou a respeito, alegando: “Uma investigação policial foi lançada em 28 de junho depois que os policiais tomaram conhecimento de um vídeo supostamente filmado dentro do HMP Wandsworth. Uma mulher foi presa por suspeita de má conduta em cargo público em 28 de junho. Ela foi levada sob custódia policial”.