Celular de Anderson Torres, ex-ministro da Justiça de Bolsonaro, tinha ataques ao STF e ensinuava forca para Lula

Também foi encontrado material convocando para “concentração nos quartéis” com objetivo de “exigir intervenção federal”

Da Redação
18/09/2023 - 09:25
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Celular de Anderson Torres, ex-ministro da Justiça de Bolsonaro, tinha ataques ao STF e ensinuava forca para Lula

Foi encontrada no aparelho celular de Anderson Torres, ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, uma série de conteúdos considerados golpistas por investigadores. A informação foi divulgada pelo colunista Paulo Cappelli, do Metrópoles.

Entre os achados, há uma imagem datada de 3 de dezembro do ano passado, que insinuava o enforcamento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e seus apoiadores durante a cerimônia de posse presidencial.

“Os corruptos comunistas que fraudaram as eleições subirão nesta rampa em Brasília construída pelo povo brasileiro”. A tal rampa, no entanto, leva a uma forca.

Post contra Lula encontrado no celular de Torres. Foto: Reprodução

Também foi encontrado material convocando para “concentração nos quartéis” com objetivo de “exigir intervenção federal”, a mesma expressão usada por familiares do tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, em diálogo interceptado.

“Convocação nacional. O nosso Brasil precisa de nós! 02/11/2022. Concentração nos quartéis por todo o Brasil! Exigência para o cumprimento da intervenção federal. Compartilhem ao máximo”, diz o texto da imagem. A foto é de dois dias após o segundo turno eleitoral.

Além disso, quatro dias após a segunda etapa do pleito, foi detectado um vídeo convocando para manifestações contra o presidente Lula, e um print afirmando que urnas eletrônicas haviam sido “descartadas ilegalmente” em Porto Alegre depois do segundo turno.

Post contra urnas encontrado no celular de Torres. Foto: Reprodução

Críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF), em especial, ao ministro Alexandre de Moraes, também constam no celular de Torres. “Ele é funcionário público, que tal darmos 5 dias para ele explicar origem do dinheiro para comprar 8 imóveis, ao valor médio de 4 milhões cada. Com salário de R$ 39 mil”, diz um post contra o magistrado.

Com informações do DCM. Para ler a matéria completa clique AQUI