Crianças que são pacientes do Hecad recebem presentes de Natal

Cerca de 150 crianças devem passar a data hospitalizadas na unidade 

Da Redação
22/12/2023 - 06:51
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Crianças que são pacientes do Hecad recebem presentes de Natal

Cerca de 150 crianças devem passar a data hospitalizadas na unidade

As crianças hospitalizadas no Hospital Estadual da Criança e do Adolescente (Hecad), unidade do Governo de Goiás, receberam a visita muito especial do bom velhinho nesta quinta-feira (21/12). O Papai Noel esteve na unidade de saúde e entregou brinquedos aos pacientes.

A programação do hospital conta ainda com apresentação teatral, oficinas pedagógicas com as crianças sobre tradições de Natal e cardápio especial para a ceia dos pacientes e familiares.

“Sabemos que o processo de internação hospitalar é especialmente difícil para as crianças, com grandes mudanças na rotina dos pequenos, e por isso buscamos promover momentos de alegria, entretenimento, aprendizagem e socialização que tornam essa experiência mais leve e positiva”, destacou a diretora-geral do Hecad, Mônica Costa.

Crianças hospitalizadas

Cerca de 150 crianças devem passar o Natal no hospital e as atividades lúdicas auxiliam na promoção de humanização e bem-estar para os pacientes. O pequeno Kaio Henrique, de cinco anos, ficou encantado com a surpresa.

“O Papai Noel não esquece de ninguém e traz os brinquedos até no hospital. Eu ganhei um carrinho e fiquei muito feliz”, contou.

“É muito bom ver tanto e carinho e cuidado em um momento como esse. Ficamos felizes e emocionados”, disse a mãe do paciente, Cleidiane Souza.

Entre os presentes entregues estavam bonecas, carrinhos, super-heróis, jogos educativos, miniaturas de alimentos, microfones, bolas e diversos outros brinquedos, arrecadados pelos profissionais de saúde do hospital.

A fisioterapeuta Michelly Alves conta que tudo foi preparado com muito zelo para as crianças.

“O hospital entende que não podemos tratar crianças como adultos e que precisamos nos importar com aquilo que é importante para elas. Proporcionar sorrisos, brincadeiras e fantasia é fundamental”, disse a profissional.

(Foto: Iron Braz)