Dobradinha de ouro e prata no lançamento do disco marca estreia do Brasil no atletismo em Santiago 2023

Izabela Rodrigues (ouro) e Andressa Morais (prata) subiram aos lugares mais altos do pódio; dia também teve mais duas pratas: com Eliane Martins, no salto em distância, e no revezamento 4x400m misto

Da Redação
31/10/2023 - 12:51
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Dobradinha de ouro e prata no lançamento do disco marca estreia do Brasil no atletismo em Santiago 2023

As provas de pista do atletismo nos Jogos Pan-americanos Santiago 2023 começaram nesta segunda-feira, 30 de outubro, no Estádio Nacional. O Time Brasil esteve representado em oito disputas, com quatro delas valendo medalha, e já conquistou uma medalha de ouro e três de prata. Logo na primeira prova do dia, no lançamento do disco, dobradinha brasileira nos lugares mais altos do pódio. Izabela Rodrigues, com a marca de 59.63m, e Andressa Morais, com 59.29m, conquistaram, respectivamente, as medalhas de ouro e prata. O bronze para Samantha Hall, da Jamaica, com 59.14m.

“Muito feliz com essa medalha, difícil até de falar, foi muita superação esse ano para estar aqui e ser campeã dos Jogos”, disse Izabela, logo complementada por Andressa. “Sempre penso assim, vai vencer a melhor, quem estiver melhor no dia, e hoje fomos nós. Aí, dobradinha do Brasil”.

No salto em distância, Eliane Martins, logo em seu primeiro salto fez a marca de 6,49m e liderou por um bom tempo a disputa. Foi superada, porém, pela colombiana Natalia Linares, que saltou 6,66m, e conquistou a medalha de prata.

“Agradeço muito às pessoas que me ajudaram a conquistar essa medalha porque ela era significa muito para mim, já que esses são os meus últimos Jogos Pan-americanos”, agradeceu a atleta, de 37 anos, comentando sobre a prova. “Fiz um primeiro salto muito bom e a pressão foi toda para as adversárias, aí eu administrei. E para superar a colombiana depois eu teria que forçar, aí eu não quis”, explicou Eliane, que sofreu com cãibras durante a disputa. Também no salto em distância, Letícia Oro foi 6º, com a marca de 6,19m.

Na última prova do dia, o revezamento 4x400m misto do Brasil, formado por Douglas Mendes, Letícia Nonato, Lucas Vilar e Tiffani Marinho, nessa ordem, também conquistou a medalha de prata. O quarteto fechou a prova com o tempo de 3’18’’55, atrás da República Dominicana (3’16’’05), medalha de ouro, e à frente dos Estados Unidos (3’19’’41), bronze.

“Muito gratificante fazer parte dessa conquista e quero agradecer aqui, em nome do grupo, aos técnicos que montaram o time e passaram toda a confiança que a gente precisava”, resumiu, pelos quatro integrantes, Lucas Vilar.

Ao longo do programa do dia, alguns atletas brasileiros disputaram fases eliminatórias de suas respectivas provas. Nos 400m, todos passaram para as finais, a serem disputadas na quarta-feira, 1/11. No feminino, Tiffani Marinho e Tábata Vitorino se classificaram com o 5º e o 8º tempos. Já no masculino, Lucas Vilar e Lucas Carvalho alcançaram a final com os dois melhores tempos, respectivamente, no geral.

Nos 100m masculino, Felipe Bardi fez o 2º tempo geral e Erik Cardoso, o 8º, e estão na final; Paulo André sentiu uma lesão durante sua bateria e não se classificou. No feminino, Ana Carolina de Jesus se classificou para a final com o 2º melhor tempo geral; Gabriela Mourão não largou e foi desclassificada. As duas finais dos 100m serão disputadas nesta terça-feira, 31/10.

No decatlo, depois de cinco provas disputadas, José Fernando Ferreira está na 5ª posição e Felipe Vinicius dos Santos, na 9ª, enquanto no lançamento do disco masculino, Alan Falchi chegou na 10ª colocação.

 

Wander Roberto/COB