“Educação combate a pobreza”, diz Caiado em evento jurídico em Lisboa

No XI Fórum Jurídico de Lisboa, Caiado diz que a educação combate a pobreza Governador Ronaldo Caiado fala sobre educação para combater pobreza no XI Fórum Jurídico de Lisboa

Da Redação
27/06/2023 - 10:42
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

“Educação combate a pobreza”, diz Caiado em evento jurídico em Lisboa

Em Portugal, o governador Ronaldo Caiado destacou o papel fundamental da educação para romper o ciclo da pobreza durante o XI Fórum Jurídico de Lisboa, nesta segunda-feira (26/06).

“Daqui a 10 anos, com o nível de educação que estamos propondo e aplicando em Goiás, essa geração vai ter outra mentalidade e vai realmente buscar a sua própria condição de vida e sua profissão”, disse o governador.

Segundo ele, os investimentos na área são a maior ação de responsabilidade social, uma vez que projeta avanços imediatos e, outros, ainda maiores, no futuro.

O chefe do Executivo estadual estava acompanhado da presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), primeira-dama Gracinha Caiado, e foi um dos palestrantes na mesa “Responsabilidade Social: Uma emergência”.

O painel também contou com José Marinho Paulo Júnior, promotor de Justiça do Ministério Público do Rio de Janeiro (RJ), André Mendonça, ministro do Supremo Tribunal Federal do Brasil (STF); Cláudio Castro, governador do RJ; Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Conselho de Administração do Banco Bradesco; Margarete Coelho, diretora de Administração e Finanças do Sebrae Nacional; Pedro Paulo Teixeira, deputado federal pelo RJ e Vladyslava Kaplina, pesquisadora da Universidade de Lisboa.

CICLO DA POBREZA

O governador lembrou que sua meta, ao assumir o Governo de Goiás, em 2019, foi entender a complexidade econômica do estado e quebrar o ciclo da pobreza, focando em proteção social e autonomia para a população vulnerável.

“Existem duas situações, uma inicial de proteção social, em que precisamos fazer uma transferência de renda de forma diferenciada, depois precisamos fazer com que haja uma autonomia da pessoa sair daquele processo e ter condições de desenvolver sua própria atividade de forma digna”, explicou.

Caiado destacou que o governo vem desenvolvendo programas sociais de assistência e de qualificação para as pessoas terem alternativas de gerar renda, inclusive com parcerias com a iniciativa privada.

“Tudo isso nos deu uma capacidade significativa de podermos fazer com que houvesse uma transição da dependência da transferência do dinheiro para a emancipação. É um processo que precisa ser analisado e cumprido como um todo”.

EDUCAÇÃO

Para o governador, o investimento em educação é essencial para combater a pobreza, não apenas com foco no ensino, mas também em infraestrutura. Em quatro anos, o Governo de Goiás investiu mais de R$ 5,5 bilhões no setor, reformou 1.049 escolas e adquiriu uniformes completos para os estudantes.

Outro cenário que mudou com as ações do governo foi o da evasão escolar, que caiu 50% na atual gestão. Com a criação da Bolsa Estudo, os estudantes passaram a receber R$ 110 por mês para frequentarem as aulas e manterem boas notas nas escolas.

“Isso elevou a autoestima dos alunos em frequentar a escola, além de combater a desigualdade”, afirmou Caiado.

O FÓRUM

Com o tema “Governança e Constitucionalismo Digital”, a 11ª edição do Fórum Jurídico de Lisboa é realizada até a próxima quarta-feira, (28/06), na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. O evento é organizado pelo Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP), pelo Instituto de Ciências Jurídico-Políticas da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (ICJP ) e pelo Centro de Inovação, Administração e Pesquisa do Judiciário da FGV Conhecimento (CIAPJ/FGV).

Entre mais de 200 participantes, o Fórum receberá o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, o vice-presidente do Brasil, Geraldo Alckmin; o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira; o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco; o presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco; e os ministros Flávio Dino (Justiça), Fernando Haddad (Fazenda), Luiz Marinho (Trabalho), Jader Barbalho Filho (Cidades) e Camilo Santana (Educação). Do STF, estarão os ministros Gilmar Mendes, Luís Roberto Barroso e André Mendonça.