Entenda seus direitos e deveres para viajar com a bike nos ônibus

0
404

As férias acabaram e muitos ciclistas sofreram na hora de colocar a magrela dentro dos ônibus que cortam as cidades do Brasil. Acontece que, na prática, existe uma flexibilidade para o embarque da bicicleta que depende mais dos funcionários das empresas, do que da própria legislação que determina as condições para esse transporte.

A verdade é que nós ciclistas muitas vezes desistimos de fazer um trecho da nossa cicloviagem dentro de um ônibus, devido a inflexibilidade de alguns motoristas ou a exigência de se colocar a bicicleta desmontada em caixas ou embalagens próprias para transporte.

Legislação

Segundo a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), nada impede que um passageiro leve sua bicicleta como uma bagagem qualquer, desde que dentro das especificações do Decreto nº 2521/1998, que regulamenta o limite de peso e volume da bagagem. Segundo a norma, no bagageiro dos ônibus, podem ser transportadas bagagens de até 30 Kg e volume máximo de trezentos decímetros cúbicos, limitada a maior dimensão de qualquer volume a um metro.

Em resumo, somos amparados pela lei para transportar nossas magrelas nos ônibus, mas essas, conforme o tamanho, muitas vezes terão de ser desmontadas para cumprir as especificações.

Apesar de existirem alguns ajustes que vão colocar a sua bike dentro da legislação, como abaixar todo o selim, tirar as rodas e envolver a bicicleta em um papelão ou plástico bolha, é importante pressionar as empresas a serem mais flexíveis. Afinal, não é nada legal sair por aí viajando com uma caixa de papelão, uma mala-bike ou plástico-bolha no alforge.

Empresas começam a enxergar ciclista

Apesar da legislação não obrigar as empresas a carregarem a bicicleta montada no bagageiro, aos poucos as viações começam a enxergar nos cicloturistas potenciais consumidores/clientes.

Hoje, já é bastante comum o relato de ciclistas que não são obrigados pelo motorista a demsontar a magrela para viajar, desde que haja espaço no compartimento de bagagens do ônibus.

Algumas viações, inclusive, já incentivam ativamente a viagem de bike. Esse é o exemplo da Cometa, que tem publicado propagandas direcionadas a quem leva a magrela no passeio. A única restrição é o limite de três bicicletas em cada ônibus.

Um lamentável relato

Apesar da pressão de clientes começar a fazer efeito, ainda são muitos os relatos de desrespeito ou implicância com os ciclistas. A ideia de escrever este post surgiu a partir da mensagem de uma leitora do Bike é Legal, que lamentava a atitude de um motorista da viação Santa Cruz: “Ele alegou que meu namorado precisa da nota fiscal da bike para levá-la.”

O motorista, além de querer exigir um documento que a Lei não pede, acabou criando uma situação extremamente constrangedora para o casal de ciclistas, atrasando a saída do ônibus em quase uma hora afim de discutir o embarque da bicicleta, deixando os passageiros já embarcados irritados. Até mesmo policias militares foram chamados para resolver a situação, que por sua vez não souberam como conduzir a ocorrência, pois não tinha nem mesmo conhecimento das normas da ANTT.

“Eu acabei desabando no choro por conta do estresse da situação, a grosseria do motorista, os passageiros nos xingando e do meu namorado sendo tratado como suspeito de um “crime” pela polícia.”, relata a ciclista.

Por telefone, a viação Santa Cruz disse que desconhecia o ocorrido e preferiu não comentar.

O Bike é Legal também conversou com funcionários de outras viações como São Geraldo, Expresso Prata, Itamarati, Andorinha, Rápido Ribeirão e Pássaro Marrom. A orientação, em todas elas, é que a bike deve estar desmontada e embalada para que seja autorizada o embarque da mesma como bagagem, inclusive a magrela vai etiquetada.

Como com nossa leitora, é sempre um risco ter de enfrentar um funcionário mal orientado sobre os direitos e deveres dos passageiros da empresa, por isso fica a minha dica pessoal que, quando possível, ligue para a central da viação e informe que uma bicicleta fará parte da sua bagagem. Essa é uma forma de evitar situações desgastantes e mostrar para a empresa que a procura pelo serviço é grande e deve ser facilitada.

BikeéLegal