EUA desistem e Brasil fica mais perto de sediar Copa de Futebol Feminino

Brasil intensifica esforços para ser anfitrião do evento, com decisão final prevista para maio pela FIFA

Da Redação
01/05/2024 - 05:31
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

EUA desistem e Brasil fica mais perto de sediar Copa de Futebol Feminino

A candidatura do Brasil para sediar a Copa do Mundo de futebol feminino de 2027 ganhou força nesta segunda-feira (29), após a retirada da proposta conjunta das federações de futebol dos Estados Unidos e do México. As duas federações anunciaram que agora vão concentrar esforços para tentar sediar o evento em 2031, conforme comunicado divulgado no X (ex-Twitter).

 

A decisão deixa o Brasil, representado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em uma posição mais favorável na disputa, que inclui também uma candidatura conjunta de Bélgica, Alemanha e Holanda. A FIFA fará o anúncio oficial do país-sede no próximo dia 17 de maio, durante uma cerimônia na Tailândia.

Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF, expressou otimismo e comprometimento com a candidatura brasileira. “A CBF cumpriu todas as exigências da FIFA e agora trabalha incansavelmente para conquistar os votos necessários para trazer a Copa do Mundo feminina para o Brasil pela primeira vez”, declarou. Rodrigues também reforçou a importância do futebol feminino em sua gestão e acredita que a realização do evento no Brasil seria crucial para popularizar ainda mais o esporte no país.

Além disso, Rodrigues mencionou o apoio à candidatura dos EUA e México para o Mundial de 2031, destacando a colaboração entre as federações.

 

Com informações da CBF