Megaoperação cumpre 62 mandados judiciais em Goiás

Investigação revelou que os suspeitos enviavam boletos falsos para as vítimas

Da Redação
29/05/2024 - 06:25
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Megaoperação cumpre 62 mandados judiciais em Goiás

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos, deflagrou, na manhã desta terça-feira (28), a megaoperação Código Falho, nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Abadia de Goiás, Trindade, Guapó, Nova Veneza, Iporá e Goiás. Foram cumpridos 62 mandados judiciais (prisões e de busca e apreensão domiciliar).

Objetivo é reprimir uma associação criminosa especializada em estelionato qualificado mediante fraude eletrônica, bem como em ocultar valores provenientes das infrações penais praticadas mediante o envio de boletos falsos às vítimas, crime conhecido, popularmente, como “Golpe do Boleto Falso”.

A operação foi realizada após compartilhamento de informações com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio do Laboratório de Operações Cibernéticas e contou com o apoio da Polícia Civil de Sergipe.

MEGAOPERAÇÃO

A investigação revelou que os suspeitos enviavam boletos falsos para suas vítimas e, em seguida, recebiam os valores em crédito em suas contas bancárias. Posteriormente, os criminosos dispersavam os valores em estabelecimentos comerciais previamente determinados, em quantias fracionadas, com o intuito de dissimular a origem ilícita do dinheiro.

HISTÓRICO

Os suspeitos possuem registros criminais por estelionato em outras ocorrências.

CÓDIGO FALHO

O nome faz referência ao tipo de fraude investigada, que utilizava boletos bancários quase idênticos aos verdadeiros, porém com outro código/linha digitável, ou seja, podem ser considerados “falhos” porque não são válidos ou autênticos.

Foto: PC