MS distribui 2,6 milhões de doses da CoronaVac para vacinação infantil

Da Redação
03/02/2022 - 03:52
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

MS distribui 2,6 milhões de doses da CoronaVac para vacinação infantil

Dezenove estados devem receber nos próximos dias mais de 2,6 milhões de doses da CoronaVac para a vacinação infantil. Com a nova remessa, o ministério já distribuiu mais de 7,5 milhões de imunizantes pediátricos em todo o Brasil.

São Paulo deve receber 22% do total de imunizantes. Minas Gerais, Ceará e Bahia seguem o estado paulista com as maiores quantidades. O Distrito Federal e os estados de Mato Grosso, Maranhão, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Tocantins e Espírito Santo não receberão doses desta remessa.

Confira abaixo a relação de entrega das vacinas

Estado Número de doses
Mato Grosso do Sul 52.760
Distrito Federal 0
Goiás 26.600
Mato Grosso 0
Alagoas 33.920
Bahia 207.280
Ceará 241.680
Maranhão 0
Paraíba 91.280
Pernambuco 157.640
Piauí 49.800
Rio Grande do Norte 0
Sergipe 60.560
Acre 27.760
Amazonas 83.280
Amapá 6.120
Pará 86.120
Roraima 0
Rondônia 0
Tocantins 0
Espírito Santo 0
Minas Gerais 282.480
Rio de Janeiro 201.880
São Paulo 592.560
Paraná 159.880
Rio Grande do Sul 100.960
Santa Catarina 160.160
TOTAL 2.622.720

O estado do Ceará deve receber cerca de 241 mil doses. Moradora de Fortaleza, a autônoma Damina Alves é mãe da Maria Letícia. Com 9 anos, a menina recebeu o imunizante no final de janeiro. A responsável afirma que o sentimento é de alívio. “As crianças são o nosso futuro e não podem ficar desprotegidas e fora do processo.”

A moradora de São Paulo, Izabella Soares, é mãe de duas crianças, de 8 e 5 anos. Ela ressalta que a vacina é uma garantia de uma maior segurança. ” É a única arma que temos para diminuir o contágio e acelerar a retomada de uma rotina normal”, afirma.

O ministro da saúde, Marcelo Queiroga, ressaltou que o Brasil tem uma das maiores políticas de vacinação contra a Covid-19 do mundo.”Essa vacina poderá ser aplicada nos filhos dos pais que assim desejarem nas nossas salas de vacinação atendendo aos critérios estabelecidos pela Anvisa.”

O médico infectologista Hemerson Luz explica que a imunização infantil é importante para diminuir ao máximo a circulação do vírus. ” Temos que levar em conta que o vírus vai achar brechas para continuar se disseminando, justamente nas pessoas não vacinadas, por isso as crianças devem ser vacinadas”, ressalta. O médico também lembra que todos os imunizantes aplicados no Brasil tiveram a eficácia e segurança comprovada.

Responsáveis presentes

A vacinação de crianças entre 5 e 11 anos começou no dia 14 de janeiro de 2022. A CoronaVac é aplicada em crianças a partir dos 6 anos de idade, enquanto o imunizante da Pfizer pode ser aplicado em dos 5 anos.

Para que a imunização seja feita, os pais ou responsáveis devem estar presentes. Não é necessário a assinatura de nenhum termo por escrito, basta a apresentação de um documento com foto e o CPF. Em caso de alguma imunodeficiência, é necessário a comprovação por meio de algum laudo. A indicação é que essas crianças recebam a vacina Pfizer.

Hemerson Luz destaca que entre as diferenças da dose pediátrica e a dose adulta do imunizante da Pfizer estão a concentração e o frasco. Já na CoronaVac, a vacina aplicada em crianças é a mesma.

O Ministério também informou que trabalha para que a distribuição seja rápida e que vai seguir todos os protocolos de segurança para garantir a qualidade dos imunizantes.

Veja mais:
Anvisa autoriza aplicação de CoronaVac em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos

Fonte: Brasil 61