Pesquisa da Febraban mostra que para 56% da população, país vai melhorar em 2024

Também segue em patamar elevado (70%) o percentual dos que confiam que sua vida pessoal e familiar irá melhorar até o final do ano

Da Redação
08/05/2024 - 06:02
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Pesquisa da Febraban mostra que para 56% da população, país vai melhorar em 2024

A maioria dos brasileiros permanece com olhar positivo para a situação do país e de sua vida pessoal, mantendo as expectativas favoráveis registradas no início do ano, conforme a segunda edição da pesquisa Radar Febraban, feita no segundo bimestre.

O levantamento mostra que 56% da população tem esperança de que o país vai melhorar em 2024. O dado sinaliza que esse sentimento permanece estável e acima dos 53% verificados em fevereiro de 2023

Ao mesmo tempo, o resultado do segundo bimestre, em relação ao do primeiro, está um ponto percentual abaixo – uma variação dentro da margem de erro da pesquisa, de dois pontos percentuais para baixo ou para cima.

Igualmente em patamar elevado (70%) está o percentual de brasileiros que esperam que sua vida pessoal e familiar irá melhorar até o final de 2024. Esse índice é ainda maior entre os jovens de 18 a 24 anos (83%) e os nordestinos (77%). Os números estão próximos do recorde histórico (75%) de otimismo registrado na pesquisa anterior.

Conforme o levantamento, também se mantém estável, dentro da margem de erro de dois pontos percentuais, a percepção de que a situação no Brasil está melhor agora do que estava em 2023. Entre os brasileiros, 46% se mantêm otimistas, sendo que, em fevereiro, esse índice era de 48%.
á o nível de pessimismo também variou dentro da margem de erro, de 22% para 23%, assim como a parcela que considera a situação atual igual à de 2023, que passou de 29% para 30%.

A pesquisa foi realizada entre os dias 17 e 22 de abril, com 2 mil pessoas, nas cinco regiões do país, pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (IPESPE).