Polícia Civil prende cuidadora por furtar R$ 700 mil de três idosas

Investigações que levaram à prisão da acusada teve início quando uma sobrinha das vítimas denunciou ocorrência

Da Redação
09/01/2024 - 11:49
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Polícia Civil prende cuidadora por furtar R$ 700 mil de três idosas

Delegacia Especializada no Atendimento a Pessoa Idosa (Deai): presa suspeita de 25 anos que lesou três idosas/Foto: Deai

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Especializada no Atendimento a Pessoa Idosa (Deai), com apoio da Polícia Militar, deflagrou, na segunda-feira (8), em Goiânia, a Operação Falsus, que resultou na prisão em flagrante de uma mulher de 25 anos de idade, suspeita de explorar financeiramente ao menos três idosas.

As investigações que levaram à prisão da autuada teve início no dia 4 de janeiro do corrente ano, quando uma sobrinha das supostas vítimas informou à Polícia Civil que três de suas tias (96, 98 e 91 anos) haviam sido lesadas pela suspeita, a qual andava praticando o delito de estelionato e exploração financeira, com prejuízo estimando em mais de R$ 700 mil.

De acordo com as investigações, a investigada havia laborado na casa da primeira idosa por mais de dois anos, tendo conquistado sua confiança, ao ponto de ser autorizada, por meio de procuração pública, a movimentar as contas correntes da idosa, servidora pública federal aposentada, a qual não era casada e não possuía filhos.

Por ser equilibrada com os gastos, essa idosa havia angariado substancial patrimônio. Ciente dessa situação, a investigada passou a fazer diversos desvios de sua conta, além de apropriar-se de mais da metade do valor correspondente à venda de um apartamento localizado na capital federal, vendido por R$ 1 milhão. A vítima veio a óbito e sua família só percebeu os desvios em razão da partilha de bens, quando foi surpreendida com as altas somas subtraídas.

Com a morte da primeira vítima, a investigada acabou sendo contratada para cuidar de outra idosa, irmã da vítima falecida. No dia 5 de janeiro, primeiro dia de trabalho da autuada, já com o cartão bancário da segunda vítima, ela realizou um saque de R$ 2 mil. Todavia, já estava sendo monitorada pela PCGO.

A suspeita foi presa na segunda-feira (8), quando se preparava para realizar outro saque. Em interrogatório, a autuada entrou em contradição em relação aos fatos. Com ela, foi apreendido um automóvel avaliado em R$ 100 mil reais, adquirido com os valores desviados.

Deai