Prefeito Rogério assina adesão ao Plano Brasil Sem Fome e destaca parcerias com governos estadual e federal

O ministro Wellington Dias autorizou R$ 4,8 milhões em recursos para Goiânia, por meio do programa de aquisição de alimentos

Da Redação
31/10/2023 - 12:46
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Prefeito Rogério assina adesão ao Plano Brasil Sem Fome e destaca parcerias com governos estadual e federal

Programa visa a erradicação da situação de insegurança alimentar grave em todo o território nacional e redução progressiva do contingente de pessoas afetadas por insegurança alimentar e nutricional. Ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), Wellington Dias, ressalta diálogo aberto com prefeito Rogério

O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, destacou a importância de parcerias desenvolvidas com os governos estadual e federal, na manhã desta terça-feira (31/10), durante assinatura do termo de adesão de Goiás ao Plano Brasil Sem Fome, durante a VII Conferência Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional de Goiás (VII Cesan), no auditório da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás (Seapa). O evento contou com a presença do ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS), Wellington Dias e do governador Ronaldo Caiado.

O Plano Brasil Sem Fome tem por objetivo a erradicação da situação de insegurança alimentar grave em todo o território nacional e a redução progressiva do contingente de pessoas afetadas por insegurança alimentar e nutricional. Além disso, o projeto visa mobilizar estados e municípios e fomentar programas, projetos e ações que contribuam para o enfrentamento da fome.

“O apoio que o governo do Estado tem dado ao município de Goiânia e a importância de parcerias como esta não tem preço. Esse comprometimento tem feito com que essas parcerias, principalmente no social, tenham dado certo e não parem por aqui. Nós realizamos esse trabalho na segurança alimentar, na área social, no transporte público, na segurança pública e com grandes resultados”, afirmou o prefeito Rogério.

Em seguida, o prefeito também falou sobre a relação com o MDS e o apoio do ministro Wellington Dias ao município.

“Recentemente nos falamos e, até mesmo por telefone, sempre tivemos uma atenção maravilhosa do ministro. Obrigado por todo apoio à cidade de Goiânia, à Capital que cuida de pessoas junto com o governo do Estado”, disse, lembrando também do apoio da bancada federal, que sempre esteve presente nas reuniões com ministros.

Durante o discurso, o prefeito Rogério ressaltou as medidas adotadas pelo município no combate à fome, incluindo a criação dos maiores programas de transferência de renda da história da Capital, o Renda Família e o Renda Família + Mulher. “Não queremos ver nenhuma pessoa passando fome, o alimento tem que chegar à mesa das famílias. As pessoas não precisam ir até a sede, elas podem ir até o Cras e pegar a bolsa de alimentos. Também demos sequência ao programa da horta alimentar, levando para escolas e Cmeis”, completou.

O titular do MDS, Wellington Dias, disse que a pasta mantém diálogo aberto sobre temas importantes para Goiânia e para o País.

“Nós estamos aqui pra estender a mão para a gente trabalhar juntos. Nós conversamos ao telefone (com o prefeito Rogério) e acertamos de fazer uma agenda para poder tratar de temas importantes para Goiânia e para o Brasil. Na área de população em situação de rua, devemos dar novos passos para trabalhar com os município e estados, e com certeza vamos trabalhar juntos em Goiás”.

Investimentos
O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome disse que o Bolsa Família faz com que circule na economia dos municípios goianos R$ 5,827 bilhões. Ainda segundo Wellington Dias, a transferência de renda é um dinheiro que chega às mãos dos mais pobres e circula onde os mais pobres vivem, fomentando a economia local.

“A cada R$ 1 que a gente transfere, outros R$ 2,20 se multiplicam na economia local, de acordo com a Fundação Getúlio Vargas. É o que o presidente Lula dizia sobre colocar o pobre no orçamento”, afirmou.

O ministro Wellington Dias também disse que está autorizando R$ 18,8 milhões em recursos para Goiás, por meio do programa de aquisição de alimentos, com R$ 4,8 milhões destinados para a Capital.

“Outro caminho é também trabalhar para retirar essas pessoas da pobreza. Aqui é um esforço por meio do emprego e do empreendedorismo. O que essas pessoas querem mesmo é trabalhar. O objetivo é esse: tirar o Brasil do mapa da fome, com redução da pobreza”, disse o ministro Wellington Dias.

Fotos: Jucimar de Sousa