PRF prende garimpeiro suspeito de participar de atos anti-democráticos

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) suspeitou que o garimpeiro Rogério Amorim Macedo da Silva poderia estar patrocinando ações criminosas de bloqueio de rodovias de Belém e parou a Toyota Hilux Cd branca na altura do Km 650 da BR 163, na altura de Itaituba.

Da Redação
17/11/2022 - 20:19
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

PRF prende garimpeiro suspeito de participar de atos anti-democráticos

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) suspeitou que o garimpeiro Rogério Amorim Macedo da Silva poderia estar patrocinando ações criminosas de bloqueio de rodovias de Belém e parou a Toyota Hilux Cd branca na altura do Km 650 da BR 163, na altura de Itaituba.

Segundo a PRF, a narrativa do condutor, junto da quantidade de bagagem transportadas no veículo, ‘fez com que a equipe procedesse com uma busca veicular minuciosa’. E foi aí que eles encontraram R$ 150 mil em dinheiro vivo e 78 camisetas nas cores verde e amarela com a inscrição ‘Deus, Pátria e Família’ – slogan usado pelo presidente derrotado nas eleições de 30 de outubro, Jair Bolsonaro (PL). Tanto o dinheiro quanto as camisetas foram apreendidos.

O caso foi encaminhado para a Polícia Federal (PF), que já iniciou uma investigação para apurar se o garimpo ilegal está por trás do financiamento de atos antidemocráticos no Pará.

Segundo a PRF, a região onde foi feita a abordagem é conhecida por abrigar um grande número de garimpos irregulares. O garimpeiro alegou que o valor encontrado no veículo seria decorrente de ‘uma venda de ouro’, mas não apresentou aos policiais documentos que comprovassem a transação.

De acordo com o Estadão, que teve acesso ao registro de ocorrência lavrado pelos agentes da PRF, o caso foi enquadrado como ‘usurpação de bem ou matéria-prima da união, lavagem de dinheiro ou ocultação de bens, direitos e valores’.

Os agentes da PRF também apreenderam seis cartões de crédito, a carteira de habilitação, o RG, o título de eleitor do motorista e o documento do carro.

Deus, Pátria e Família

As camisetas com as cores da bandeira estavam acondicionadas em uma sacola encontrada na caçamba da caminhonete junto com a mala de dinheiro. Segundo a PRF, as peças  tinham a bandeira do Brasil estampada, “com a escrita do lema ‘Deus, Pátria, Família'”, e o logotipo de uma empresa de compra de ouro chamada ‘Rota do Ouro’.

STF na cola dos patrocinadores dos atos golpsitas

Com patrocínio de empresas e pessoas físicas, extremistas estão ocupando rodovias e arredores de quartéis do Exército desde que Bolsonaro perdeu a eleição para Lula (PT), o presidente eleito e proclamado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 30. No sábado, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandou bloquear 43 contas de supostos financiadores dos atos antidemocráticos.

Leia mais: Moraes manda bloquear contas de 43 suspeitos de financiar atos antidemocráticos