Putin diz que condição para paz é a Ucrânia se posicionar como país neutro

O presidente russo realizou na quinta-feira (14) a tradicional entrevista coletiva a jornalistas russos e do mundo inteiro

Da Redação
15/12/2023 - 11:39
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Putin diz que condição para paz é a Ucrânia se posicionar como país neutro

O presidente russo, Vladimir Putin, realizou na quinta-feira (14) a tradicional entrevista coletiva a jornalistas russos e do mundo inteiro. O líder respondeu a um total de 67 perguntas durante mais de 4 horas de evento.

BdF – Foi a primeira grande coletiva anual que Putin concedeu desde o início da guerra da Ucrânia. Neste ano, o evento teve um formato híbrido, que combinou as perguntas dos jornalistas com questões enviadas pela população. O presidente abordou uma ampla variedade de temas, com ênfase à guerra da Ucrânia, relação com o Ocidente e a situação econômica do país.

As questões sobre quando chegará a paz e quais são os objetivos da guerra dominaram a pauta da coletiva.

Putin reiterou os objetivos da chamada “operação militar especial”, afirmando que a guerra na Ucrânia terminará quando a Rússia atingir os seus objetivos. Segundo ele, esses objetivos são a “desnazificação”, a “desmilitarização” e o estatuto de neutralidade da Ucrânia.

Ao falar sobre o fornecimento de ajuda militar estrangeira à Ucrânia, Putin disse acreditar que a assistência ocidental a Kiev terminará em breve. De acordo com o líder russo, a economia da Ucrânia atualmente por si só não é capaz de produzir nada.

Situação na linha de frente

Respondendo a uma pergunta sobre a situação do fronte na região de Krynki, na margem esquerda do Dnieper, onde as Forças Armadas Ucranianas vêm buscando estabelecer controle, Putin deu detalhes sobre a estratégia russa.

“Após o fracasso da contraofensiva, Krynki é a última tentativa das Forças Armadas Ucranianas de avançar para a margem esquerda do Dnieper e em direção à Crimeia. A artilharia está atingindo esta área estreita, a nossa recuou para as plantações florestais para proteger o pessoal. As Forças Armadas Ucranianas entraram na área de 1.200 por 300 metros. Eu nem sei por que eles estão fazendo isso, pressionando seu povo para ser exterminado. As perdas dos nossos militares foram pontuais, dois, três ou quatro foram feridos. O inimigo tem dezenas de mortos”, observou o presidente russo.

De acordo com ele, Kiev está conduzindo soldados das Forças Armadas Ucranianas à morte certa apenas por razões políticas. Ele enfatizou que enquanto o presidente Volodymyr Zelensky “viaja e implora” pelo mundo, as tropas precisam demonstrar pelo menos algum sucesso, independentemente das perdas.

“É benéfico para o nosso exército que o inimigo continue enviando soldados para Krynki, perdendo pessoal. Mas com o tempo, eles serão completamente expulsos de lá”, completou.

Normalização das relações com a Europa?

Um jornalista da agência estatal russa Itar-Tass perguntou se o país pode esperar uma normalização das relações com a União Europeia. De acordo com ele, isso não depende somente de Moscou.

“Não estragamos o relacionamento e eles tentaram nos colocar em segundo plano ou em terceiro lugar, negligenciando nossos interesses”, respondeu Putin, reiterando a acusação de que Ocidente é responsável pela crise ucraniana.

Segundo o presidente russo, todo o histórico do conflito na Ucrânia, iniciado ainda em 2014, foi provocado precisamente pelas forças políticas ocidentais – uma tese que ele repete com frequência.