Rogério Cruz convoca 60 médicos para enfrentamento da dengue, chikungunya e zika em Goiânia

Prefeito determinou à SMS que seja feita a garantias  de disponibilidade de teste rápido e hidratação nas unidades da Atenção Primária,

Da Redação
17/02/2024 - 11:32
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Rogério Cruz convoca 60 médicos para enfrentamento da dengue, chikungunya e zika em Goiânia

Prefeito determinou à SMS que seja feita a garantias  de disponibilidade de teste rápido e hidratação nas unidades da Atenção Primária, criação de leitos de internação exclusivos, qualificação de profissionais e criação de gabinete de crise

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), adota medidas para enfrentamento da dengue, chikungunya e zika. Entre as ações estão a convocação, já publicada no Diário Oficial do Município (DOM), de 60 médicos para atuação na Atenção Primária, que conta com 75 unidades na Capital. São 54 Unidades de Saúde da Família (USF) e 21 Centros de Saúde (CS) que, a partir da próxima segunda-feira (19/2), passam a disponibilizar teste rápido para diagnóstico da dengue, além de hidratação e medicação do paciente que tiver a confirmação da doença.

“O que a prefeitura, por determinação do prefeito Rogério, está fazendo é descentralizar o atendimento ao paciente com dengue ou com suspeita da doença. Até então esse atendimento estava muito concentrado nos Cais, Ciams e Upas. A partir de agora, a pessoa vai poder procurar a unidade de saúde, aquele postinho, perto de casa, deixando as urgências para os casos mais graves”, explica a superintendente de Gestão de Redes de Atenção à Saúde, Cynara Mathias.

Também fazem parte das medidas a criação de 12 leitos exclusivos para internação de pacientes com dengue, capacitação de profissionais de saúde visando aprimorar o manejo do paciente com a doença e a criação do gabinete de crise para enfrentamento da dengue e outras arboviroses, que tem como objetivo monitorar o número de casos, demanda de leitos, insumos e ações de controle do Aedes aegypti.

“Todas essas medidas já vinham sendo discutidas com o prefeito Rogério, que monitora diariamente os casos das arboviroses em Goiânia, especialmente a dengue. Com o cenário atual, que apresenta um grande aumento de internações, ele bateu o martelo. Temos que evitar que esse paciente evolua para um quadro grave e necessite de internação”, ressalta o secretário de Saúde, Wilson Pollara.

Balanço da dengue
Conforme dados do Boletim Epidemiológico Arboviroses da SMS, em 2024, Goiânia já registrou 3.890 casos prováveis de dengue, sendo o Distrito Sudoeste com o maior número de casos, um total de 900. No momento, nenhum óbito foi confirmado, mas há três em investigação. Para cada 100 mil habitantes, 76 estão com dengue na capital, o que deixa a cidade no Nível 2, que é o de Alerta.

Foto: SMS