Saúde de Aparecida convoca pais e responsáveis para vacinar as crianças contra a Poliomielite

Baixa adesão da comunidade à vacinação preocupa a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), pois a vacina é a única forma de prevenção contra a poliomielite, doença que pode causar a paralisia infantil

Da Redação
14/06/2024 - 09:24
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Saúde de Aparecida convoca pais e responsáveis para vacinar as crianças contra a Poliomielite

Baixa adesão da comunidade à vacinação preocupa a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), pois a vacina é a única forma de prevenção contra a poliomielite, doença que pode causar a paralisia infantil

Iniciada no último 27 de maio e prevista para terminar no próximo 14 de junho, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite continua no município com baixa procura pela população. Segundo a Coordenação de Imunização da SMS, crianças menores de 5 anos podem ser vacinadas em qualquer um dos 38 postos de vacinação espalhados pela cidade e as gotinhas do imunizante representam a única forma de prevenção contra a doença. Em todo o País, desde 2016, a adesão às vacinas tem sido reduzida, o que levou a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) a incluir o Brasil na lista das nações em risco de reintrodução do vírus da poliomielite.

Além dos 38 postos, a SMS participa da mobilização nacional do Dia D, realiza imunizações rotineiramente em escolas, Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) e locais de grande movimentação, como eventos e shopping centers, porém, ainda com pouca procura. Na tarde da última segunda-feira, 10 de junho, mais uma vacinação itinerante foi feita no CMEI Parque Primavera com a presença do Zé Gotinha, que foi levado pela equipe da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) para divertir as crianças e estimular a imunização.

Zé Gotinha, símbolo da vacinação no Brasil, ganha carinho das crianças no CMEI

No CMEI, a coordenadora de Imunização da SMS, Renata Cordeiro, ressaltou:  “A baixa adesão é extremamente preocupante. A poliomilelite é muito grave e nosso País foi reclassificado internacionalmente com muito alto risco de reintrodução da doença. Então alerto os pais e responsáveis para que levem suas crianças para vacinar. Não apenas contra a paralisia, mas estejam atentos ao cartão de vacinas, que deve estar sempre atualizado. ”

Renata ainda acrescenta: “Para se ter uma ideia, das 36 mil crianças que já deviam estar protegidas nessa campanha em Aparecida (95% das menores de 5 anos que vivem na cidade, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE), apenas pouco mais de 2.700 foram vacinadas até agora. ”

Menina recebe a vacina contra a poliomielite: gotinhas que protegem

Responsabilidade e carinho

Na vacinação no CMEI Primavera, Caíque Muniz, morador do Jardim Imperial, aproveitou para imunizar contra a poliomielite o filho Gael, de 3 anos. “Para mim, essa vacinação aqui facilita porque nem sempre posso ir até um posto de Saúde por causa do meu trabalho e não tenho um veículo meu. Desse jeito eu não precisei gastar com transporte, toda economia ajuda. E o mais importante é que agora ele está em dia com a vacinação”, contou Caíque.

O pai também destacou que “criança não pode ficar sem vacinar. É um carinho que a gente tem que ter, a responsabilidade é nossa, eu mesmo preciso tomar algumas vacinas atrasadas, mas sou adulto e vou por conta própria. Já nossos filhos precisam da gente, de quem cuida deles, mesmo que seja uma babá, um parente, a família tem que dar o que a criança precisa”.

É o caso da Marilena da Cunha, avó de três crianças que estudam no CMEI. “Como os pais trabalham até no fim de semana, eu que cuido de quase tudo deles. Já estão vacinados e faço questão de ler o cartão, perguntar para as moças da Saúde, eu tento entender dessas coisas para não deixar faltar o que eles precisam. Quem tem criança em casa não pode bobear, elas adoecem muito rápido e quem ama não arrisca. Quem ama cuida”, frisou ela.

Imunização: ato de responsabilidade e cuidado com as crianças

Como receber a vacina  

Para vacinar as crianças, é necessário apresentar documentos pessoais (RG ou certidão de nascimento, CPF ou cartão SUS) e o cartão de vacinação. Nos postos também será possível atualizar todas as demais vacinas do calendário infantil, com exceção dos cinco CMEIs, onde serão oferecidas apenas as vacinas contra a Poliomielite e Influenza.

Postos de Vacinação

A vacinação nas UBS´s funciona de segunda a sexta das 7h30 às 16h30. Na Central de Imunização funciona de segunda a sexta, das 8h às 18h, e, aos sábados, das 8h às 13h. Já a sala de vacinação da Maternidade Marlene Teixeira fica aberta de segunda a sexta das 8h às 18h. Os postos de imunização não funcionam em feriados e pontos facultativos. Confira os locais:

Central de Imunização

Maternidade Marlene Teixeira

UBS Alto Paraíso

UBS Anhambi

UBS Andrade Reis

UBS Bairro Cardoso

UBS Bairro Ilda

UBS Bairro Independência

UBS Bandeirantes

UBS Boa Esperança

UBS Buriti Sereno

UBS Campos Elíseos

UBS Cândido de Queiroz

UBS Caraíbas

UBS Chácara São Pedro

UBS Colina Azul

UBS Cruzeiro do Sul

UBS Delfiore

UBS Expansul

UBS Garavelo Park

UBS Independência Mansões

UBS Jardim Bela Vista

UBS Jardim Florença

UBS Jardim Olímpico

UBS Jardim Paraíso

UBS Jardim dos Buritis

UBS Jardim dos Ipês

UBS Madre Germano

UBS Mansões Paraíso

UBS Nova Olinda

UBS Papillon Park

UBS Parque Trindade

UBS Pontal Sul 2

UBS Riviera

UBS Rosa dos Ventos

UBS Santa Luzia

UBS Santo André

UBS Tiradentes