Saúde e SDU removem lixo acumulado em terreno no Setor Santa Luzia

Pá mecânica, caminhões e dez servidores foram empregados na trabalho

Da Redação
12/07/2022 - 16:26
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Saúde e SDU removem lixo acumulado em terreno no Setor Santa Luzia

Pá mecânica, caminhões e dez servidores foram empregados na trabalho

A coordenação de Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal da Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia (SMS) em conjunto com equipes operacionais da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SDU) realizou nesta terça-feira,12, a limpeza de um terreno particular no Setor Santa Luzia onde um grande volume de materiais recicláveis estava estocado inadequadamente, gerando transtornos para os vizinhos.

 

Para limpeza do terreno, que fica na Avenida W-7, foram utilizados quatro caminhões, uma pá mecânica e empregados mais de dez servidores das duas secretarias envolvidas no trabalho. A operação começou por volta das 8h e se estendeu durante todo dia. O material recolhido foi encaminhado para o Aterro Sanitário Municipal onde receberá tratamento e destinação conforme prevê a legislação.

“Recebemos mais de 15 denúncias em relação a este terreno, os vizinhos já não suportavam a situação. No período chuvoso, o material acumula muita água dando origem a focos do mosquito Aedes aegypti. Esse montante também serve de abrigo para insetos e roedores”, explica o coordenador de Vigilância Ambiental da SMS, Flávio Ned.

 

Plástico, papel, pedaços de eletrônicos e outros materiais foram acumulados sem nenhuma organização ao longo dos últimos quatro anos. O locador do terreno informou ao proprietário que iria trabalhar com reciclagem no local, mas na verdade ele apenas acumulava o que já não era interessante reciclar. Nesta terça, mais de 20 caminhões de “lixo” foi retirado do local.

Aparecida de Goiânia

O proprietário do local comemorou a limpeza. “Não teríamos condição de pagar pelo serviço e a pessoa que alugou não atendeu aos inúmeros pedidos para retirada do lixo. Hoje, estamos aliviados com essa limpeza que vai resolver um problema que estava se arrastando há alguns anos. Estamos aliviados”, disse Josias Cardoso.

Ainda de acordo com levantamento dos agentes de vigilância em saúde, o responsável pelo acumulo do material já teria alugado outro terreno no mesmo bairro onde também está acumulando “lixo”.

Denúncia

Casos de acumulo de material reciclável ou lixo que geram transtornos para comunidade podem ser denunciados na Coordenação de Saúde Ambiental pelo telefone (62) 3545-4819.