Zelensky admite discutir a neutralidade da Ucrânia

Da Redação
27/03/2022 - 21:02
  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Linkedin
  • Compartilhe no Telegram
  • Compartilhe no WhatsApp

Zelensky admite discutir a neutralidade da Ucrânia

Em entrevista à imprensa russa neste domingo (27), o presidente ucraniano Volodimir Zelensky afirmou que a questão da “neutralidade” da Ucrânia, um dos pontos centrais das negociações com a Rússia para encerrar o conflito, está sendo “estudada a fundo”.

“Estamos dispostos a aceitá-lo”, declarou Zelensky em entrevista online, transmitida pelo canal de Telegram da administração presidencial ucraniana. “Este ponto das negociações (…) está em discussão, é estudado a fundo”, assegurou.

“Mas não quero que seja mais um documento no estilo do Memorando de Budapeste”, acrescentou, referindo-se aos acordos assinados pela Rússia em 1994 que garantiam a integridade e a segurança de três ex-repúblicas soviéticas, incluindo a Ucrânia, em troca de desistir das armas nucleares herdadas da URSS.

As delegações russas e ucranianas se reunirão no início desta semana na Turquia para uma nova rodada de negociações presenciais, anunciaram os dois lados.

Representantes de ambos os países vão se reencontrar a partir desta segunda-feira (28), na Turquia, para uma nova rodada de negociações presenciais, anunciou neste domingo (27) David Arakhamia, um dos negociadores de Kiev.

“Durante as discussões, hoje, em videoconferência, ficou decidido realizar, na Turquia, uma próxima rodada presencial entre os dias 28 e 30 de março”, disse Arakhamia em sua página no Facebook.

“O processo de negociação é muito difícil”, disse na sexta-feira o Chefe da Diplomacia ucraniana, Dmytro Kuleba, negando qualquer “consenso” com a Rússia.

Entretanto, um pouco antes, o presidente turco, Recep Tayip Erdogan, havia assegurado que a Rússia e a Ucrânia estavam de acordo em quatro dos seis pontos da negociação.

“Não há consenso com a Rússia sobre os quatro pontos mencionados pelo presidente da Turquia”, disse Kuleba, que elogiou os esforços diplomáticos” de Ancara para pôr fim à guerra.

Com informações do DCM